Director: Américo Natalino de Viveiros Director Adjunto: Santos Narciso
Escolha a cor do seu tema: Skin Vermelha Skin Verde Clara Skin Azul Skin Azul Bébé Skin Amarela

Gráfica Açoreana   Diario dos Açores   Atlantico Expresso   Associanissima

Arquivos
A A A

Na feira de Santana: Vasco Cordeiro quer desenvolver “potencial” do sector agrícola na Região

17 Agosto 2012 [Regional]

O candidato do PS/Açores à presidência do Governo Regional, Vasco Cordeiro, destacou ontem o “potencial” do sector agrícola para o desenvolvimento da economia regional, frisando a importância dos acessos e do fornecimento de água e electricidade às explorações agrícolas.
“Há um longo percurso que já foi feito, mas não podemos ficar parados porque já fizemos muito”, afirmou Vasco Cordeiro, em declarações aos jornalistas durante uma visita à feira agrícola de Santana, na Ribeira Grande.
Para Vasco Cordeiro, o aproveitamento do potencial do sector agrícola deve passar também por “uma intervenção muito forte ao nível da transformação, para criar mais valor acrescentado e mais rendimento, e pela abertura de novas áreas, como o melhoramento genético”.
“Os investimentos que têm sido feitos no âmbito do melhoramento genético devem ser rentabilizados, podem constituir uma boa fonte de exportação da nossa região”, afirmou.
Relativamente ao sector leiteiro, reconheceu que os agricultores “responderam de forma extraordinária” aos desafios de aumentar a produção e melhorar a qualidade, considerando “agora que há que criar mais valor e mais rendimento nesta cadeia para ajudar a economia”.
“A função do governo regional a que espero presidir é potenciar e impulsionar o desenvolvimento do sector leiteiro”, frisou.
Nesta área, reafirmou que se deve continuar a defender a manutenção do regime de quotas leiteiras, considerando que o Ministério da Agricultura “está a fazer um trabalho extremamente interessante, não apenas dando a conhecer a situação de Portugal, mas também chamando outros países” para colaborar neste objectivo. “Não podemos, no entanto, ficar apenas na contestação à abolição deste regime, temos que preparar o dia seguinte, o que passa por termos um produto de qualidade e uma agricultura cada vez mais competitiva”, afirmou.

Versão de Impressão

Mais notícias da área Regional